Como a Graduação em Redes de Computadores pode te transformar em um "hacker do bem"

Como a Graduação em Redes de Computadores pode te transformar em um "hacker do bem"

Como já estamos conversando há algum tempo aqui no blog, o mercado de redes de computadores é um dos mais promissores para profissionais de TI. Isso tanto quando falamos de técnicos quanto de graduados de nível superior. De acordo com a Cisco, faltam hoje no Brasil mais de 117 mil profissionais especializados nesta área do conhecimento.
Mas, você sabia que é possível se transformar em um ‘hacker do bem’ com os conhecimentos em redes e conectividade? Entenda a seguir!

Hiperconectividade e preocupações com a segurança da informação geram oportunidades para ‘hackers do bem’

As redes de computadores se tornaram indispensáveis para a sobrevivência das empresas de todos os portes e em todos os segmentos do mercado. Elas garante comunicação, conectividade, melhorias nos processos, produtividade entre outros benefícios.
Acontece que o excesso de redes e formatos de redes acabaram por gerar um fenômeno que está sendo chamado de hiperconectividade. As empresas estão necessitando de profissionais para gerir a complexidade de suas redes e, sobretudo, para garantir a segurança da informação no emaranhado de conectividade com o qual precisam lidar o tempo todo.
No que tange à segurança da informação (a garantia de que os dados da empresa estão livres de ser danificados e/ou roubados), a preocupação não para de crescer. Para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada pela CompeTIA descobriu que 90% das empresas brasileiras sofreram com algum tipo de violação de seus dados em 2015.
É neste cenário que entra o papel do “hacker do bem”. Ele é um profissional que conhece os meandros técnicos e metodológicos das redes de computadores, se especializa em prever, localizar e lidar com os ataques à segurança da informação. E mais: em alguns casos, este profissional é contratado especificamente para simular ataques a sistemas e à infraestrutura das empresas para encontrar vulnerabilidades, demonstrar falhas e agir preventivamente.
Então, podemos dizer que o ‘hacker do bem’ pode desempenhar os seguintes papéis dentro das organizações:

  • Garantir a continuidade dos serviços de redes: tornar inviável a ação de hackers para que os sistemas e serviços de TI das organizações estejam sempre disponíveis e em perfeitas condições;
  • Encontrar vulnerabilidades nas redes e tratá-las preventivamente: testar com frequência o poder de segurança das redes corporativas;
  • Monitorar a segurança da informação: acompanhar a normalidade das condições de segurança e conseguir localizar anormalidades; lidar com sistemas de monitoramento;
  • Fortalecer os mecanismos e encontrar ferramentas para blindar as redes organizacionais: estar antenado com o que há de mais moderno em antivírus e outros sistemas e equipamentos para garantir segurança digital.

Competências necessárias para se tornar um ‘hacker do bem’

O primeiro passo para ser este profissional é estudar redes de computadores. O curso de graduação é uma excelente opção para quem quer seguir esta carreira. Mas também é necessário adquirir conhecimentos sólidos em segurança da informação, hardwares e softwares, infraestrutura de TI etc.
É importante também ser um profissional interessado no status de investigador, de detetive digital. É um trabalho que exige bastante disciplina e determinação, mas que é muito gratificante, pois lida diretamente com a segurança dos dados e da sustentabilidade dos negócios como um todo.
Você já pensou em se tornar um ‘hacker do bem’? Deixe seu comentário!
 

WhatsApp WHATSAPP